Blog Verde Alface

Um blog que se quer fresco e leve... Como uma alface!

quinta-feira, março 31, 2005



Ena pá! Este ano, Lisboa vai ser a capital do sexo e do erotismo! Lá vou ter que desligar os telemóveis e comprar uns óculos escuros, bem grandes, para passar despercebida... É que, nestas alturas, confundem-me sempre com estas actrizes esculturais que por cá vêm, e não suporto os flashes...

Será pela minha cintura fina e com os abdominais definidos, os meus peitos siliconados (que mal que soa), os meus lábios carnudos, cheios de solução salina e a minha testa lisinha de toxina botolímica? É que, de facto, sou tal e qual a rapariguinha da foto... Não admira que me persigam a toda a hora!!

Já cá tenho a minha borboleta! Chegou e disse-me: "Tive saudades da minha mãezinha desde a Terra até ao céu!"
Agora, sim, respiro de alívio...

segunda-feira, março 28, 2005

Obrigada pelo almoço

O ensopado de borrego da G. estava uma delícia e o doce de leite condensado da Registada acrescentou mais umas gramas à volta da minha cintura...
Adorei, miúdas!

quinta-feira, março 24, 2005

Bem... Isto já fechou, a malta já saíu toda... Só eu ainda estou por aqui a fazer tempo porque, otária(!!), marquei depilação só para as 14h!
Se não vos "vir" antes, desejo-vos uns bons feriados!

Apanhei a Brigída Jonas a tentar passar despercebida, enquanto bebia, à pressa, o seu descafeínado no café "Central de Alguidares", com os seus óculos novos. E olhem que bem que lhe ficam!

quarta-feira, março 23, 2005

Joalheria

Está, neste momento, no programa da Ana Marques, na Sic Mulher, uma joalheira. Entre as criações dela, estão:

- Um filtro que transforma a urina em água potável (para peça de colecção ou para usar como colar);
- Uma gargantilha de dentes de vaca com aparelho corrector, daqueles de dentista;
- Uma bracelete a imitar próteses de membros (feita com ossos);
- Um anel com um dente de tubarão;
- Um gancho feito com um osso de uma raposa que a artista encontrou morta no campo.

De facto, há gostos para tudo...

Alívio

A minha princesa já chegou ao destino. Respira fundo, Alface, porque acabaram de te sair 20 kgs de cima (pena que seja em sentido figurado e estes quilos não tenham saído do rabo e da barriga!)! A tarde até correu bem: hoje a malta da minha sala até estava bem disposta e foi paródia, gargalhadas e boa disposição até à hora de saída. Estava tão divertido, que saí quase uma hora e meia depois da minha hora habitual! Eu acho que foi do vinho do Porto que eles beberam a acompanhar o folar que um senhor nos ofereceu...

O sonho de qualquer mãe...

terça-feira, março 22, 2005

Uma das minhas melhores amigas teve que fazer uma data de exames porque a médica diz que ela tem alguns dos sintomas iniciais da doença de Parkinson. Ela tem 32 anos... Rezo para que o resultado dos exames seja negativo.

Acabei de despedir-me da minha filhota que foi embora, de férias e estou assim. Sinto-me tão angustiada...

18000

Entrei agora no meu blog e reparei que fui a visitante com este número tão lindo e redondinho... :)

Prioridades

Quando a sua vida parece um caos e as 24 horas por dia parecem não chegar, lembre-se do pote de vidro e do café.

Na sala de aula, o professor estava de pé com alguns objectos em cima da secretária. Quando a aula começou ele, calado, pegou num frasco grande de vidro vazio e começou a enchê-lo com bolas de golf. Quando não cabiam mais, ele perguntou aos alunos se achavam que o frasco estava cheio. Todos responderam que sim. O professor então pegou num saco de feijões secos e, ao chocalhar o frasco, estes iam entrando para os buracos vazios entre as bolas de golfe. Quando não cabiam mais, ele perguntou aos alunos se achavam que o frasco estava cheio. Todos responderam que sim. Neste ponto, o professor despejou um saco de areia para dentro do frasco. Como é óbvio, a areia ocupou todo o espaço restante do frasco. Quando não cabiam mais ele perguntou aos alunos se achavam que o frasco estava cheio. Todos responderam que sim. Foi então que o professor agarrou em dois copos de café e os entornou lá para dentro. Agora sim, não havia mais espaço. Os alunos desataram a rir !!! "Agora," disse o professor enquanto as gargalhadas ainda se ouviam,

-"Eu quero que vocês reconheçam que este frasco representa a organização da vossa vida".
-"As bolas de golfe são as coisas mais importantes: a família; os filhos; a saúde; os amigos e tudo o que vos é mais querido, de modo a que se tudo na vida desaparecesse e só ficassem elas, a vossa vida continuava cheia!"
-"Os feijões são as outras coisas importantes da vida: o trabalho; a casa; o carro";
-"A areia é tudo o resto das coisinhas pequeninas."

Se encherem primeiro o frasco com a areia, já não há espaço para o feijão nem as bolas de golfe.
O mesmo se passa com a vida. Se gastarem todo o tempo e a vossa energia com as pequenas coisas Nunca vão ter espaço para as coisas que são verdadeiramente importantes para vocês. Prestem atenção às coisas que são essenciais à vossa felicidade. Brinquem com as crianças. Tirem tempo para ir ao médico, talvez Fazer um check-up. Saiam para um jantar romântico. Vai haver sempre tempo para arrumar a casa, para despachar um trabalho que só falta um bocadinho. Tomem conta das vossas bolas de golfe primeiro, das coisas que têm mesmo importância. Tenham prioridades. Para o resto vai sempre haver espaço. Não encham o vosso frasco primeiro com a areia, pois as bolas de golfe não vão caber no fim.

Um aluno perguntou: - E o café o que é ? - Ainda bem que perguntas. Eu ia agora mesmo dizer-vos.
É que mesmo que sintam que a vossa vida está cheia, há sempre Espaço para beber um café com um amigo.
(Recebido por mail)

Dentista

Para desanuviar e pôr a serpente mais para baixo e, também, na sequência de um comentário que deixei na Sofia, deixem-me dizer-vos que tenho a filha mais corajosa do mundo em todos os aspectos!
Ontem, enquanto íamos, no carro, para casa de uma amiga, perguntou-me:
"Mãe, posso ir ao dentista?"
Como ela tinha lá estado há uns meses, perguntei:
"Porquê, filha, dói-te algum dente?..."
"Não, mas é bom ver se está tudo bem..."
"Não tens medo?"
"Medo?? De ir ao dentista?? Mas haverá alguém com medo de ir ao dentista? Minha nossa senhora, é a coisa mais simples que há!"
Há pouca gente com esta opinião sobre a cadeira do dentista e, muito menos, uma criança com 6 anos. Olhem, eu até tremo só de pensar em lá ir... Definitivamente, a minha filha não sai a mim neste aspecto!



Porra, que este departamento onde trabalho é um autêntico ninho de víboras!! Mulheres mesquinhas, invejosas, maledicentes e bisbilhoteiras. Interessam-se mais pela vida dos outros do que pela delas próprias! Invejam quem tem mais dois neurónios, mas não fazem nada para terem também elas mais um ou dois... Ao invés, usam os poucos que têm para falar mal dos colegas que não alinham com elas nesses jogos asquerosos!... E quem não alinha, é porque se acha mais importante que os outros. E quem, por acaso, usa os neurónios para algo mais que falar da vida alheia, é porque não se dá com ninguém. E quem faz o seu trabalho como deve ser, sem se importar com o que os outros fazem do seu tempo, é porque acha que sabe mais que elas... Estou pelos cabelos (e não tenho tão poucos quanto isso...)!!!

O Diário...

Eh pá! Este blog é excelente! A Brígida tem uma imaginação fantástica e um modo de escrever que me diverte imenso.

A possibilidade de salvar uma vida

Já há algum tempo que ando a pensar nisto mas, hoje, a Estrunfina deu um passo nesse sentido. Isso encheu-me de coragem para, finalmente, fazer o mesmo e inscrevi-me também para doar medula óssea a alguém que dela necessite. Bastou preencher um questionário simples (só a morada e o nome) aqui e agora fico a aguardar um contacto. Depois é só tirarem-me um pouquinho de sangue para fazerem uns testes e apurarem uns valores que serão essenciais para descobrir eventuais compatibilidades com doentes em lista de espera ou que, infelizmente, irão surgindo...


Também irei doar sangue. E isto é quase uma obrigação moral, visto reencaminhar tantos mails com pedidos para o meu tipo de sangue, que é raro: B- (negativo).

segunda-feira, março 21, 2005

Ando sem vontade nenhuma de viajar na blogosfera. Nem sequer de escrever. Começo a aperceber-me que, quanto mais preenchida me sinto na minha vida pessoal, menos necessidade/vontade tenho de escrever aqui. E o inverso também acontece. Como disse, anteriormente, tudo é relativo...

Primavera

Chegou a Primavera. E chegou com chuva. Finalmente a chuva. Por todo o lado, só se ouve a frase "a Primavera chegou da melhor maneira". Realmente, tudo é relativo, nesta vida: antigamente, esta frase aplicava-se à chegada desta estação com um lindo dia de sol...

quinta-feira, março 17, 2005

A mentira tem perna curta

Atendi o telefone, que não parava de tocar, na secretária de um colega, ausente. Do outro lado da linha, ouviu-se:


"Estou, o sr. António está?"

"Não, ele não está de momento..."

"Hummm... errrr... Eu tenho aqui o telemóvel dele..."

"Ah, mas não vale a pena ligar-lhe para o telemóvel. Concerteza não o levou, pois ele não saíu do edifício."

"Não! Eu tenho é o telemóvel dele comigo, que ele esqueceu. Fala da loja de onde ele saíu há 2 minutos."


Lição do dia: Não mentir para encobrir um colega.

A morte pela perspectiva de uma criança de 6 anos

A propósito de um post da Ana , em que falava do confronto de uma criança de 6 anos com a morte e da forma como a encarava e aceitava, eu disse-lhe, num comentário, que achava pouco provável a menina ainda acreditar na velha história da viagem. Poderá até, na minha opinião, fingir que acredita (as crianças sensíveis, nesta idade, têm tendência a tentar agradar), mas penso que ela já terá uma nocção, não da realidade, mas de uma boa parte dela.
Perdi uma irmã há uns anos (os meus avós perdi-os na mesma altura, mas a dor pela minha irmã superou a dor pelos meus avós), e a minha filha fala-me muitas vezes nisso. Há uns tempos disse-me:
"Que triste que é nunca mais poderes ver a tia..."
...
Quando li o que a Ana escreveu, e uma vez que a minha filha ainda nem tem 6 anos e meio, decidi fazer-lhe a pergunta:
"Sabes o que acontece quando uma pessoa morre?"
A resposta foi simples, crua e real:
"Sim. Fecha os olhos, adormece para sempre e nunca mais acorda."
"E depois?"
"Depois, fecham a pessoa num caixão e levam-na para o cemitério. Mas ela dali, vai para o céu e fica lá."
"E o que acontece à familia?"
"Olha, nunca mais vêem essa pessoa que morreu!"
...
Confesso que me arrepiou. Mas confirmou o que eu já pensava. As crianças, com a informação que obtém através da televisão ou dos próprios colegas de escola, crescem muito mais depressa do que no meu tempo e chegam sempre mais perto da realidade (mesmo quando esta é triste e dolorosa).

quarta-feira, março 16, 2005

...

Durante a reportagem sobre o acidente de autocarro, em Ponte da Barca, do qual sairam feridas muitas crianças, foram feitas entrevistas a várias pessoas. Uma senhora declarava, indignada:

"Foi muito mal... Só tenho uma coisa a dizer que é mal dos transportes! 'Tão sempre atrasados!"

Perdoem-me o desabafo...

Há uns tempos vi uma camisa na Zara, linda (eu adoooooro camisas), mas não a pude comprar porque estava sem dinheiro. Agora entrou aqui uma cabra qualquer com a minha camisa vestida! Cabra, cabra, cabra!
...
...
Bom, para me acalmar, vou convencer-me que a camisa fica muito melhor a ela do que ficaria a mim... É que, gorda como estou, fico com umas mamas descomunais e ainda atingia alguém, num olho, com um botão que saltasse com a pressão!

E a minha filhinha teve um Muito Bom na ficha de avaliação, ou não saísse ela à mãezinha.

terça-feira, março 15, 2005

Ainda a dieta forçada...

Para variar da sopa e peixe cozido, hoje grelhei umas espetadas de perú, que acompanharam com esparguete simples. Foi uma alegria para a miúda! (E para mim).

O nervoso dos exames...

Como me lembro dos nervos antes de um qualquer exame... Lembro-me de sonhar, na véspera, que já o tinha feito e, quando acordava, apanhava uma desilusão por verificar que tinha sido apenas em sonho!
A minha filhota já começa a sentir essa ansiedade. Ontem, durante o banho, disse-me que teria uma ficha de avaliação hoje, mas que não estava nervosa porque "sabia tudo". Hoje de manhã, muito excitada, contou-me o que sonhara esta noite:

"Sonhei que tinha apanhado sarampo. Eram uns sarampos em forma de borboletas e outros sarampos em forma de flores, no braço esquerdo. Apanhei um sarampo tão forte que já não pude fazer a ficha de avaliação!"

Mais uma coisa que me mostra o quão depressa a minha filha está a crescer...

A má língua

"Parece que o Marco e a Marta se estão a divorciar... Ela diz que gosta ainda dele, mas que não o ama." - diz uma colega minha.
"Porra, se não ama porque é que foi ter uma carrada de filhos!??" - diz outra, indignada.
"Carrada de filhos?" - pergunta a primeira - "Mas eles só têm um... Desculpa, mas isso é dizer mal só por dizer. É mesmo má língua!"
Ah, mulher! Achei bem a resposta. Nem toda a gente tem a coragem de dizer directamente o que pensa. Mas que era só má língua, lá isso era e é bastante habitual nessa colega. Mereceu ouvir.

sexta-feira, março 11, 2005

Às vítimas do terrorismo

Achei linda a homenagem singela feita às vítimas do atentado na estação de Atocha, em Madrid, faz hoje 1 ano. Num parque com 192 árvores (uma por cada vida perdida naquela manhã), a que se deu o nome de "Bosque dos Ausentes", e depois de cinco minutos de silêncio, respeitados por todo o país, os reis depositaram uma coroa de flores brancas. Sem discursos, sem palavras. A rainha fez uma vénia e, depois, apenas se ouviu o som de um violoncelo interpretando "O canto dos pássaros".
Não foi preciso mais... A tristeza não se mostra, sente-se.

Companhia de Seguros

Enviaram-me um link de um site onde se pode descobrir qual é a Companhia de Seguros de um qualquer veículo somente através da matrícula do mesmo. Eu experimentei (com a minha, claro), e não é que resultou? Este site é muito útil naqueles casos de acidentes com fuga, pois indica a seguradora do veículo em qualquer data...

Com um dia destes, tão lindo, como é que eu vou conseguir ficar aqui fechada, que nem uma moura, a trabalhar?...

quarta-feira, março 09, 2005

Agora que já vos mostrei a minha cara...

... perdi a cabeça e decidi mostrar-vos outra parte do meu corpo!

No WC, parte 2...

Acabou a cantoria, e acabou de me gritar, da casa de banho:

"Mãe!!! 'Tou com diarreira! Anda cá ver!!"

E isto, senhoras e senhores, é a outra parte das maravilhas da maternidade.

No WC...

A minha filha está, neste preciso momento, sentada na sanita, a cantar:

"Ai fél gou.. tananana.. Ai fél gou.. tananana..
Ai váriú!!"

(Tradução: "I feel good, I've got you! - James Brown)

terça-feira, março 08, 2005



Retirado daqui.

segunda-feira, março 07, 2005

1+1=2

Ultimamente tenho brincado com a minha filha às lojas. Aborrecem-me, confesso, estas brincadeiras (não tenho a mínima paciência) mas faço um esforço. Ela é, invariavelmente, a senhora que atende e eu sou a cliente. Vende de tudo um pouco - desde DVD's a mochilas, passando por livros e até brinquedos. São as coisas dela, claro. Põe preços em tudo. Claro que, para tornar a brincadeira mais educativa e pedagógica, quero que ela faça sempre as contas de quanto terei que pagar, o que ela fazia contrariada porque, com 6 anos, ainda lhe é difícil somar Euros e cêntimos.
Hoje, assim que chegámos a casa, a mesma brincadeira. "Entrei" na loja, perguntando os diversos preços, como sempre. Hoje respondeu-me 1€ a tudo.
"Mas então é tudo 1€ aqui??" - perguntei, fazendo-me surpreendida...
"Sim, aqui a partir de hoje é a loja do 1 Euro! É tudo ao mesmo preço, para não haver confusões a pagar!"

A minha filha, como se vê, já aprendeu, à boa maneira portuguesa, a seguir a lei do menor esforço!

Cabeça no ar...

Olha, olha! Só depois de ver a data do post anterior é que me lembrei que ainda não tratei da porcaria do IRS!

terça-feira, março 01, 2005

Há que fazer pela vida, n'é?

"Dois dos detidos de uma prisão turca foram condenados ontem a passar mais quatro meses encarcerados por terem feito um buraco na parede que separava as suas celas, o que lhes permitiu viver um autêntico idílio até que foram "denunciados" pelo nascimento de uma criança.Seylan Corduk, de 40 anos, encarcerado por assassínio na prisão de Kartal, em Istabul, e Kadriye Fikret Oget, de 27 anos, detida por ter colocado uma bomba no mercado da cidade, fizeram, em Julho de 2002, um buraco de nove centímetros na parede de betão que separava as suas celas, através do qual mantiveram, durante meses, relações sexuais, das quais resultou o nascimento de um bebé, em Abril de 2003.Foram agora condenados a mais quatro meses de prisão e a 42 euros de multa por "degradação do património público".
in jn.pt, (Jornal de Noticias)

29 de Fevereiro

Tenho aqui um colega que faz anos, sem fazer, porque não existe o dia de anos dele no calendário, este ano.


Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com