Blog Verde Alface

Um blog que se quer fresco e leve... Como uma alface!

quinta-feira, dezembro 30, 2004



Até para o ano!

quarta-feira, dezembro 29, 2004

Tenho frioooo!



Já tenho o meu saquinho de água quente pronto para ir comigo para a cama...

terça-feira, dezembro 28, 2004

Consulta médica

A minha filha, com um cartão de identificação e um bloco de apontamentos (do kit médico que recebeu), põe-me um nenuco ao colo. "Como é o seu nome?", pergunta-me. Percebi logo a brincadeira e respondi: "O que acha, sra. dra? É grave?". "Não", diz, "é apenas um ligeiro "proglema" no ouvido, que se resolve depressa. A sra. é o n.º1. Mas vai ter que esperar muito aí na sala de espera! Quando for para entrar, eu chamo!".
Bom, e cá estou no computador a fazer tempo para a consulta do meu "filhote". Se isto fôr como na maior parte dos Centros de Saúde, nem às 20h saio daqui!

O Tesouro

Ontem fui ao cinema com a I., sessão da meia noite. Fomos ver "The National Treasure", com o Nicolas Cage. Adorámos o filme! Tudo corria bem até ao momento em que saímos, já às 2.15h, e a I. reparou que não tinha as chaves do carro! Ai mãezinha! Aquela rapariga só não perde a cabeça porque o pescoço é um forte elo de ligação! Lá pediu aos seguranças de serviço para voltar à sala de cinema... Nada! A chave não estava lá... Eu já a via quase em pânico, mas encontrei uma solução. Disse-lhe: "olha, vamos apanhar um táxi e, amanhã ou mesmo hoje, com o meu carro, voltamos cá, com a tua chave suplente, e trazemos o carro...". Pois, até seria uma boa solução, não fosse o facto dela também já ter perdido a chave suplente! Ai, ai! E a nossa vidinha a andar para trás... Lá fomos, desta vez, segurança atrás, verificar a área de restauração, onde tínhamos estado até à hora do filme. AHA! Esperança! Os tabuleiros ainda não tinham sido levantados! A I. foi direitinha à nossa mesa e, voilá! Estavam lá as benditas chaves, debaixo de um guardanapo!
E pronto! Foi a nossa aventura de ontem, de madrugada, por um Centro Comercial fechado e vazio... Tal qual o Nicolas Cage, à procura do tesouro...

sábado, dezembro 25, 2004

Já foi...

E pronto! Já se passou mais um Natal. Valeu pela alegria da minha filha (contida, que ela não é dada a mostrar grandes emoções, à semelhança da mãe) ao receber todas as coisas que desejava. De doces tradicionais só fiz uns sonhos, à pressa e a pedido da minha mãe, que achava a mesa pouco natalícia. O bacalhau com natas e camarão estava uma delícia e o pudim foi o meu orgulho!
Há uns anos que o meu Natal deixou de ter o brilho que lhe era característico, há uns anos que o meu Natal ficou incompleto e diferente. Agora, é fazer dele um dia bonito para a minha filha, para que lhe deixe boas recordações, como eu tenho...

quinta-feira, dezembro 23, 2004

Elogios?!!

Hoje a I. disse-me, na brincadeira, que a minha boca parecia a dos porcos americanos(não, não foi dos porquinhos, foi mesmo dos PORCOS) , daqueles gordos e grandes (não faço ideia como são). A minha filha, há pouco, veio ter comigo e disse, muito preocupada: "Não tens nada boca de porco, como disse a I.! Tens boca de flor, tal e qual a boca de uma flor...". Sim, sim! Bonito elogio, boa intenção. Mas como raio são as bocas das flores??
A minha vida é assim, como "vêem"...



Um feliz Natal para tod@s!!!

quarta-feira, dezembro 22, 2004

Heidi e Marco

Ah, e ao contrário do que a maior parte das pessoas pensa, o Marco não era o namorado da Heidi, mas sim um rapazinho cuja mãe fora trabalhar para a Argentina. Ele viaja para este país à procura dela, e a série é toda sobre esta busca. O menino que acompanhava a Heidi nas suas brincadeiras nas montanhas, com as cabrinhas, era o Pedro, o pastor.

E já agora... Também tenho saudades do Bell e Sebastião e da Candy Candy...

Cotas?!!

Estou a ver as noticias da SIC, onde estão a falar dos desenhos animados que me acompanharam na minha infância: Heidi, Marco, Vickie, Abelha Maia, Marretas, etc. Fazem entrevistas a crianças que desconhecem, na sua maior parte, estas personagens, e os que conhecem não gostam. A dada altura, respondem afirmativamente à pergunta do locutor: "Sim, estes desenhos animados são para cotas!!".
Sim, estou a ficar cota. Mas o que me faz mais impressão é ver que as personagens desses desenhos animados que eu adorava e que representavam crianças como eu, naquela altura, ficarão para sempre crianças, com aquelas vozes agudas, com aquelas gargalhadas ingénuas e deliciosas. Nunca envelhecerão, ao contrário de nós, e irão desaparecer aos poucos do imaginário das crianças reais. Porque estas já têm de 30 a 40 anos e as mais novas já não querem saber da Maia, do Marco, da Heidi e do Vickie...

terça-feira, dezembro 21, 2004

Pensamento do dia

"O que engorda não é o que você come entre o Natal e o Ano Novo, mas o que você come entre o Ano Novo e o Natal".

Já nasceu!

Já nasceu a minha afilhadinha, com 3,075kg! Parabéns, minhas lindas meninas (a mamã e a filhota)! Vai ser uma Natal mais feliz...

domingo, dezembro 19, 2004

Estou tão orgulhosa!



Sinto o peito a transbordar de orgulho em ser portuguesa. A SIC esteve a transmitir, a partir a cidade do Porto, o mair desfile de Pais Natal do mundo! Os fatos desta personagem estavam esgotados inclusivé nas lojas dos chineses (palavras do locutor)! Que lindo!
Bom, agora que acalmei e que as mãos deixaram de estar trémulas da emoção, vou ali fazer o meu almoço para levar amahã num tupperware, para o trabalho, porque não tenho dinheiro para comer fora... Que orgulho em ser portuguesa!

sexta-feira, dezembro 17, 2004

É assim que vou estar durante a próxima meia hora... Vou acender as velas.

Máscara caseira...

Ando com o cabelo muito seco, tipo palha, mesmo, e precisava de uma máscara hidratante... Ora, como a vida não está para grandes aventuras, decidi voltar aos meus tempo de juventude e fazer uma máscara caseira. Assim, misturei um bocadinho de mayonaise, uma colher de sopa de mel e outra de azeite e, ainda, uma gema de ovo e voilá! Cá estou eu, a fazer tempo, para esta mistela actuar...

Isto, apesar de muito bonito é, na prática, difícil de concretizar porque vivemos rodeados de cabecinhas complicadas... Mas, quando a nossa é mais complicada que as dos outros, então isto não é difícil... É completamente impossível!

Bah!

Que hipocrisia, nestes almoços de Natal de Departamentos!...

quinta-feira, dezembro 16, 2004

Sinto que, aos poucos, estou a recuperar-ME. Anda a apetecer-me voltar a bordar os meus tapetes de arraiolos. Só não recomecei ainda porque aquilo enche-me a casa de pó!

Ah, rapariga, que bom reencontrar-te! Mais um bocadinho, e estás a mesma de há 2 anos! Que saudades... Só falta mesmo é começares a ter vontade de fazer exercício físico, novamente! Isso é que era...

Tenho aprendido muito nos últimos meses. Tenho aprendido, essencialmente, a baixar a crista. Tenho aprendido que, ao contrário do que julgava, não sou de ferro e não sou, para grande espanto meu, imune aos sofrimentos causados por amor! Tenho aprendido a relegar-me para segundo plano. Fiquei mais humana, acho, mas também mais vulnerável. Às vezes quero-me de volta - sofria menos!

Petição internacional

Por um Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia

Louis-Georges Tin, director do Dictionnaire de l’homophobie (Presses Universitaires de France, 2003), está a promover a criação de um Dia Mundial de Luta Contra a Homofobia. Se deseja também apoiar esta iniciativa, e se deseja que este Dia de Luta Contra a Homofobia seja inscrito oficialmente nos calendários nacional e internacional, por favor assine e divilgue esta petição.

Eu já assinei!


Aaaaaaarrrrrrggggggghhhhhhhhhh!!!!!!!!!!!

quarta-feira, dezembro 15, 2004

Já não lhe dou a volta...

Estou a fazer o jantar para mim e para a minha filhota. É peixe cozido com batatas e, às tantas, pergunto-lhe: "filhota, queres que eu coza uma cenourinha para comeres com o peixe?...". É claro que a resposta foi um não redondo, tal como eu já esperava. Utilizei o argumento habitual para a convencer: "as cenourinhas fazem muito bem aos meninos... Fazem os olhos bonitos...". "Sim, sim...", responde ela, "já conheço essa conversa, mas a mim já não me dás a volta!...".

terça-feira, dezembro 14, 2004

Há festa no hospital!

Está a dar o "Há festa no Hospital", na TVI, que é uma espécie de sucedâneo do dinossauro "Natal dos Hospitais", e estou feita parva a olhar para aquilo... Mas quem raio são os Astros?? Já para não falar da quantidade de gente que já cantou (ou tentou fazê-lo), e que nunca os vi mais gordos?? Ai, Queijinhos Frescos, Nuno e Henrique, Dino Meira, José Malhoa, ROberto Leal, e essa malta pimba da minha infância (em que o pimba era chamado de nacional-cancionetismo), "VOLTEM, 'TÃO APERDOADOS"!!

Vidas em comum...?

Não é triste viver com alguém somente porque não se tem outra solução?
Uma amiga minha, casada há vinte e poucos anos, dizia-me, há poucos dias, que sente um alívio quando o marido vai para a caça durante os fins de semana. "Foi um fim de semana em cheio! Descansadinha...", disse-me ela ontem.
Como é possível ficar contente porque a pessoa com quem decidiu compartilhar a vida não estar com ela? No seu caso (e no caso da maior parte dos casais com esta duração), parece-me que o amor se desvaneceu, dando lugar à habituação e à conveniência. É que, tal como ela já me confidenciou, uma separação será impensável, apesar de não ser feliz. Há a questão económica aliada à questão familiar - é que, para além de não conseguir subsistir sózinha (e com os filhos), com a miséria de ordenado que ganha na função pública, seria completamente desprezada pelos pais (palavras dela), pessoas antiquadas, e para as quais as mulheres (incluíndo a própria filha) têm que se submeter, mesmo infelizes, a uma vida em comum, com um "marido bom, porque nem lhe bate"!
Quando a minha amiga chegar ao fim da vida vai, de certeza, sentir que nunca fez nada por ela própria...

segunda-feira, dezembro 13, 2004

E depois?... Fica o vazio...

Já embrulhei os presentes, com a ajuda da minha filhota, e já os coloquei debaixo da árvore. Gosto tanto de ver os presentes debaixo da árvore! Mas, quando acaba o momento em que os desembrulhamos, e já lá não está nada, fica um vazio... Sempre senti isso, desde pequena. É a antecipação de um momento que se deseja muito e que, depois, passa demasiado depressa.

Também sinto isso, esse vazio, em relação à árvore de Natal. Sempre que a desmancho (mesmo que esteja desejosa de o fazer), sinto a casa mais triste, mais vazia...

Eu sei que esta conversa parece fútil, mas eu ligo a estas coisinhas...

Ainda a saga do gato...

Não está nada fácil! Ele não me deixa aproximar e, no fim de semana, piorou bastante. A I. tentou pegar-lhe (convicta de que ele não faria mal), e ele deixou-a com umas arranhadelas enormes nos dedos. Agora já não me consigo aproximar dele, sem a ameaça de uma dentada! Não sei se vou conseguir...

domingo, dezembro 12, 2004

Coisas simples, mas deliciosas...

Foi um fim de semana calmo...Caseirinho... Delicioso... Como eu estava a precisar. Torradinhas com um chocolate quente na Sexta à noite; pequeno almoço fora, e comprinhas no Sábado de manhã, seguidas de uma saladinha deliciosa, especialidade da I., para o almoço. Ao jantar, pizzas caseiras! Nhami! A inesperada falta de luz (foi geral, não pensem que me esqueci de pagar a conta!), no Sábado à noite, é que obrigou a um fim repentino do serão programado. O resultado foi ir para a cama mais cedo, e ficar a conversar até adormecer... E que bom que foi!!

sexta-feira, dezembro 10, 2004

Mãe Coragem

" (...) que bom minha filha poder comemorar uma data tão importante ao lado da pessoa que ela ama e com amigos e familiares.Como é bom partilhar os momentos de felicidade com aqueles que fazem parte de nossa existencia.Que sorte eu tenho de ter uma filha tão querida.Se as mães compreendessem que aceitar a orientação sexual de suas filhas é tornar os próprios dias muito mais radiantes, calorosos e felizes, com certeza iriam correndo abrir seus abraços para abrigar aquela que só deseja uma coisa: ser feliz (...)"

Encontrei este blog de uma mãe de uma rapariga lésbica brasileira. Fiquei contente, e encheu-me de esperança ver a força desta mulher, e o seu entuasiasmo perante a vida! A partir de agora, ficará ali ao lado, como Mãe Coragem.

Lembram-se desta?

P'ró Natal, o meu presente, eu quero que seja....
A minha agenda, a minha agenda!

Continua muuuuuuuuuuito difícil....


quinta-feira, dezembro 09, 2004

Pontos de vista...

Qual Estrunfina qual quê! Veste lá uma roupinha destas, e és a Betty Boop autêntica!




Não sei porquê, mas hoje parece-me Sexta-Feira...

Fome

Eu sei que choca, mas morre uma criança em cada 6 segundos, à fome, no mundo. Acho que é algo para reflectir, e para nos lembrarmos quando andamos desgostosos por não poder comprar aquele casaco tão giro...

quarta-feira, dezembro 08, 2004

Fui a um café com a minha mãe e a minha filhota tomar uma água. Ela ainda está desdentada e, assim, sobressaem-lhe os dentinhos caninos, branquinhos e bicudos. O senhor que estava a servir meteu-se com ela, dizendo:
"Pareces mesmo uma gatinha, com esses dentinhos!"
"Gatinha?? Não! Pareço é um vampiro!", responde ela. E pronto! Que visão tão romântica das coisas, que tem a minha menina...

John Lennon

Foi há 24 anos...



Imagine there's no heaven,
It's easy if you try,
No hell below us,
Above us only sky,
Imagine all the people
living for today...

Imagine there's no countries,
It isnt hard to do,
Nothing to kill or die for,
No religion too,
Imagine all the people
living life in peace...

Imagine no possessions,
I wonder if you can,
No need for greed or hunger,
A brotherhood of men,
imagine all the people
Sharing all the world...

You may say I'm a dreamer,
but Im not the only one,
I hope some day you'll join us,
And the world will live as one


terça-feira, dezembro 07, 2004

E continua a saga do gato...

Continua sem grandes evoluções a minha amizade com o meu gatinho. Ele não sai da transportadora, a não ser para comer e ir ao caixote de areia. Sempre que falo para ele, lança-me um olhar desconfiado e, se me aproximo demais, faz logo daqueles barulhos de felino selvagem. Eu bem sei que só está comigo há 2 dias, mas já tenho muita vontade de lhe fazer uma festinha. A minha filha, então, está ansiosa!

Ufa!

'Tou a abarrotar...


de preto...

Já uma pessoa não pode vestir preto, que não a largam! "O que aconteceu?...", "...estás em baixo...", "estás escura, hoje...", ou a pérola "faleceu-te alguém de família?" são as perguntas que tenho ouvido, aqui no trabalho, desde que cheguei! Irra!

segunda-feira, dezembro 06, 2004

A todos, um bom Nataaaaal...

..., a todos um bom Nataaaal, que seja um bom Nataaal, para todos vós... A minha filhota anda a decorar uma quadra desta música para a festa de Natal. Lembram-se? Era o Coro Infantil de Santo Amaro de Oeiras que a cantava em tudo o que era programa de televisão nesta quadra, e encerrava sempre o espéctáculo do Natal dos Hospitais. Ajudá-la a decorar esta música deixou-me nostálgica... Reconheço que já estou a ficar entradota quando só me ocorre dizer, entre um aceno de cabeça, "bons tempos"...

Já o tenho!!



O meu gatinho já chegou a casa. Está muito assustado, e só saíu da transportadora para comer e fazer uns xixis no caixote da areia (quando não estávamos perto dele). Mas é lindo! Confesso que me apaixonei por aquele focinho quando olhei para ele pela primeira vez, escondido atrás do sofá, no quarto do filhote da minha amiga (que o recolheu).
Hoje pareceu-me mais tranquilo, e tenho esperança de lhe poder fazer umas festinhas daqui a uns dias...

sexta-feira, dezembro 03, 2004

Onde andam?...

Porque será que, ultimamente, tenho a sensação de estar sózinha na blogosfera?


Esta é a tua prenda de Natal...



(Vês... Também eu não vou poder dar-te o que gostaria...)

quinta-feira, dezembro 02, 2004

Egas e Becas

Todos os dias conto uma história à minha filha, antes dela ir para a cama. Escolhe sempre um livro da Rua Sésamo, pois adora as personagens e as suas aventuras. O Egas e o Becas (os dois bonequinhos da imagem, para quem não conhece) são duas das personagens principais. Eles são dois amiguinhos que vivem juntos: o Egas é um desastrado, distraído, brincalhão e muito divertido; o Becas é mais sério e muito mais responsável. Hoje, ao ler mais uma vez as peripécias destes dois, ocorreu-me... Vivem juntos, são inseparáveis, dormem no mesmo quarto... O Egas e o Becas são gays, e nunca ninguém suspeitou!

O bebé que será o meu segundo afilhado está quase a nascer... Quando os pais me convidaram (a mãe é, desde há quase 20 anos, a minha melhor amiga), senti-me muito honrada. Mas penso no papel dos padrinhos, hoje em dia. Não é, certamente, o mesmo de há muitos anos, que seria a responsabilidade de assegurar o sustento da criança, na falta dos pais, ou de "emprestar" o nome para o bebé (para infelicidade de muitos deles!).
Hoje em dia, ao ser-se convidada para madrinha de uma criança (principalmente pela segunda vez), pensa-se já em despesas. Pensa-se no dia do baptismo, pensa-se se os pais quererão a roupa para essa ocasião ou o dinheiro, pensa-se na vela para a igreja, na toalhinha em linho para limpar a cabecinha; pensa-se nos próximos Natais, em que teremos de comprar mais uma prenda melhorzinha (para além das dos nossos próprios filhotes, e do afilhado já existente); pensamos nos aniversários, nas Páscoas, etc...
É, de facto, uma enorme honra, e significa que há alguém que gosta de nós ao ponto de, de todas as pessoas, nos convidar, a nós, para ocuparmos um lugar importante na vida do seu filho... Mas, hoje em dia, valerá a pena essa honra?


Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com